O Instituto Superior Miguel Torga consciente do impacto psicológico, relacional e social que a pandemia COVID-19 está a ter na população portuguesa, através os docentes da área da Psicologia Clínica, estão a desenvolver estudos para monitorizar a saúde psicológica dos indivíduos e das famílias. Os estudos focam os impactos na saúde mental e bem-estar psicológico dos indivíduos, os processos de funcionamento, a adaptação e resiliência das famílias, bem como fatores que podem contribuir para mitigar os efeitos e desafios da pandemia em que vivemos.

Três projetos diferentes, orientados por Joana Sequeira e Joana Carvalho, Sónia Simões e Marina Cunha, os quais integram alunos de mestrado e outros docentes, estão a recolher informação sobre indicadores como o funcionamento e a resiliência familiar e individual, o coping, respostas de stresse, estados emocionais e outras variáveis individuais e sociofamiliares que podem influenciar as respostas psicológicas, comportamentais e relacionais à situação de pandemia (e.g., fatores protetores, processos de regulação emocional, traços de personalidade, processos de coesão, adaptabilidade e resiliência familiares).

É de realçar a necessidade nacional e mundial de obter mais informação sobre os impactos desta pandemia, de forma a permitir o desenvolvimento de intervenções especialmente desenhadas para responder às necessidades das pessoas e das famílias. Estes estudos, com uma metodologia transversal e longitudinal, pretendem perceber quais os impactos da situação atual na família, casal e indivíduos, assim como sublinhar os processos individuais e familiares no enfrentamento da COVID-19 e de preservação da saúde mental e bem-estar. Pretende-se, por fim, fundamentar o desenvolvimento de intervenções psicológicas e terapêutica integradas e sustentadas.

Os referidos estudos podem ser consultados nos links: