Quadro Geral de Avaliação – 2º semestre – 2019-2020

No quadro geral das alterações impostas pela pandemia que se consolidaram na deliberação CG/05/02.04.2020, nelas se incluindo a suspensão de aulas presenciais enquanto não houver condições sanitárias que as permitam em segurança, importa esclarecer algumas questões legitimamente levantadas por alguns dos Senhores/as Professores/as e por alguns dos Senhores/as Estudantes.

1. Ocioso dizer que as regras do Regulamento Geral de Avaliação e Procedimentos Académicos e as regras de Calendarização, antes fixadas, estão suspensas pelas que derivam da deliberação citada supra, sem prejuízo de poderem funcionar como critérios interpretativos complementares e não contraditórios com a nova regulamentação.

2. No que respeita ao semestre em curso, as épocas de avaliação são três:

       a) Avaliação Contínua ou Continuada, que decorre normalmente em período lectivo, até ao dia 09.06.2020, ao qual se acrescenta, em função das circunstâncias que estamos a viver, um outro momento dedicado a uma prova presencial, a realizar de 15.06 a 26.06.2020. No total, este tipo de avaliação comporta um mínimo de dois momentos ou instrumentos. No quadro da autonomia do Docente, compete-lhe a fixação do peso específico (%) de cada um deles. Acrescenta-se que o momento ou instrumento de avaliação, a realizar entre 15.06 e 26.06.2020, contará como 15ª aula, devendo o Docente deslocar no tempo a data do seu último momento de avaliação para esse período.

       b) Avaliação Final Normal: Constará de um momento ou instrumento presencial, uma prova escrita ou apresentação e defesa oral de trabalho (escrito ou projeto). No quadro da sua autonomia, o Docente poderá aproveitar, na percentagem que tiver por conveniente, qualquer instrumento de avaliação parcelar, que eventualmente tenha ocorrido no decurso da avaliação continuada.

       c) Avaliação Final Especial: Segue nos mesmos moldes da Avaliação Final Normal, e traduz-se numa verdadeira época plena e de recurso, sem limite de número de Unidades Curriculares ou ECTS, a que cada Estudante pode aceder.

PS – A propósito da questão levantada sobre o silêncio do RGAPA relativamente à obrigatoriedade de a avaliação continuada ter de realizar-se presencialmente, não admira que assim seja: o ensino que, desde sempre, se praticou no ISMT é de cunho presencial, e o mesmo se diga, obviamente, em relação às formas de avaliação.

Para lembrar e referência segue em anexo a Deliberação CG/05/2.04.2020-versão corrigida.

A Comissão de Gestão
16.4.2020