Investigação e Segurança Contra Catástrofes, Crises e Acidentes 2ª edição

Post-Graduations

Número máximo de admissões : – 25

Regulamento [pdf]

Apresentação

Catástrofes, crises e acidentes, de origem natural, humana ou tecnológica, exigem um sólido domínio de segurança dos sistemas de controle e de vigilância, perante a sua regularidade crescente e, por isso, representam um complexo e difícil desafio às sociedades e às suas Instituições. Esse desafio, por tão perturbador, também se relaciona com uma investigação como prática frequente e com inovação constante.

De tal forma que, por aprendizagem, supera a natureza complexa dos eventos e o papel das suas causas, das cascatas de falhas humanas e tecnológicas, da quebra de segurança ou mesmo do papel da prevenção e da análise e avaliação de anomalias. Erros de gestão do risco e de operações, falhas nas políticas públicas, materiais e equipamentos deficientes, pressões de custos de obras, ausência de análise das anomalias e burocracia, são outras patologias dos nossos sistemas sociotécnicos a ter em conta.

Os casos dos incêndios de Pedrógão, as cheias do Mondego, os deslizamentos de terra na Madeira, o acidente marítimo em Portimão, a queda de aeronave em Foz Côa e o ciberataque à Vodafone, são bem reveladores disso. Trata-se de evidências da necessidade de se abrir imperativa e completamente a caixa preta das catástrofes, das crises e dos acidentes, ao mostrarem-se como eventos de elevado impacto e de alta probabilidade de retorno, no tempo da incerteza e do risco com que temos de contemporizar.

Tal como em eventos a nível global que, pelo sistema acoplado em que as sociedades se encontram, devemos confiar que também na nossa o colapso pode ocorrer. Como no desabamento de edifícios em Marrocos, no acidente ferroviário na Grécia, no rompimento da barragem do Brumadinho, no ataque terrorista em Cabo Delgado, no derrame de petróleo do Prestige na Galiza ou na debandada em estádio de futebol na Indonésia, entre outras tragédias que marcam a nossa história universal.

Todos estes eventos desafiam-nos ao conhecimento e melhoria da qualidade da segurança e da investigação, e como consequência a uma aprendizagem com a experiência e com a atuação, protagonizadas por um corpo docente multidisciplinar em que assenta esta pós-graduação.

A decorrer durante um semestre, este curso foca-se nas habilidades fundamentais exigidas a um perito em investigação e segurança em catástrofes, crises e acidentes e fornece uma aprendizagem incomparável. Tudo isto inclui estudos de casos práticos, tal como no final do curso ligados a exercícios de campo, num cenário simulado de investigação de um evento a realizar no município de Vila Nova de Poiares, com a participação da sua corporação de bombeiros voluntários.

Objetivos

A pós-graduação tem como objetivo dotar os futuros peritos de conhecimentos e competências científicas e técnicas necessários, sustentados pelas melhores práticas de segurança e de investigação, multidisciplinares e multi-institucionais, que lhes permitam realizar, com eficácia e adequação, todos os procedimentos de segurança e de investigação de ocorrências, como as expostas na apresentação do curso.

Tal posiciona os futuros peritos como fortes contribuintes para a formulação da nova política pública de redução do risco de catástrofes, designadamente no quadro da implementação da Estratégia de Desenvolvimento Territorial da CIM-RC no período 2021-2027 e da Estratégia Portugal 2030, bem como da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável.

Destinatários

Licenciados nas áreas de: Proteção do Ambiente, Serviços de Segurança, Ciências Físicas, Ciências da Vida, Saúde, Educação, Ciências Sociais e do Comportamento, Direito, Engenharia e Técnicas Afins, Arquitetura e Construção, Agricultura, Silvicultura e Pescas e Serviços de Transporte.

Profissionais de: gestão do risco, proteção civil, forças armadas, forças e serviços de segurança, bombeiros, saúde, educação, ciências sociais, formuladores de políticas públicas, construção civil, aeronáutica, mecânica, náutica, rodoviária, ferroviária, informática, florestal, ambiental, geológica e hidráulica.

Duração do Curso

1 Semestre (4 meses)

Carga Horária (Total de horas de contacto)

97 horas

Horário

Sextas-feiras -  18h – 22h

Sábados -  9h-13h

Modalidade de Ensino

À distância. A última unidade curricular decorre de forma presencial.

Data de início

17 de janeiro de 2025

Data do fim

12 de abril de 2025

Cronograma
[pdf]


Plano de Estudos
[pdf]

Coordenação
Prof.ª Doutora Noémia Salgado Cunha

Contacto de coordenação: noemiacunha@ismt.pt

Corpo Docente:

Noémia Salgado Cunha, Instituto Superior Miguel Torga [pdf]
Paulo Marco Palrilha, Corporação de Bombeiros Sapadores da Câmara Municipal de Coimbra [pdf]
Rui Filipe Resende Melo Coelho de Moura, Polícia de Segurança Pública [pdf]
Fernando Costa, Instituto Superior Miguel Torga [pdf]
João Paulo Rodrigues, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra [pdf]
Sónia Fidalgo, Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra [pdf]
Miguel Corticeiro, Instituto Superior Miguel Torga [pdf]
Bruno Edgar Inverno Lopes, Guarda Nacional Republicana [pdf]
Messias Mira, Polícia Judiciária [pdf]
Margarida Dias, Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses [pdf]
Gonçalo Nuno Lourenço Carnim, Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses [pdf]

Ciclo de Conferências:

Ocorridas na 1ª Edição: